Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - Mobile
Anúncio - Banner mobile
Anúncio - Mobile
Anúncio - Móbile
Anúncio - Mobile
Anúncio - Natal mobile
Anúncio - Banner Mobile
Anúncio - Exames de Imagem mobile
Anúncio - AGOSTO
Anúncio - rodape mobile
FEBRE AMARELA
Doença preocupa a fronteira: Paraguai exige certificado de vacina
Turistas deverão apresentar a carteirinha internacional expedida pela Anvisa
Publicado em 31/01/2018 às 10:53 Italo
Doença preocupa a fronteira: Paraguai exige certificado de vacina

O Serviço de Migração do Paraguai vai a exigir a partir de 1º de fevereiro o certificado internacional de vacinação contra a febre amarela para todas as pessoas que entrarem no país ou saírem do país e que vão ou que vieram da zona de circulação ativa da febre amarela. A exigência, a pedido do Ministério da Saúde do Paraguai, tem a ver com o surto da doença registrado no Brasil, especialmente nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Bahia.

O Serviço de Migração paraguaio é o responsável pela cobrança do documento na entrada ou na saída do país, seja por via aérea ou terrestre. A vacina deve ser aplicada com pelo menos 10 dias de antecedência da data da viagem, tempo necessário para o organismo produzir os anticorpos contra a doença.

A medida visa impedir a volta da doença. O último surto de febre amarela no Paraguai foi em 2008, quando o país registrou 28 casos da doença.

De acordo com o Ministério da Saúde do Brasil, desde julho de 2017 já foram registradas 53 mortes por febre amarela no País, com índice de letalidade de 40%.

COMPRISTAS

A princípio, a medida não deve afetar o trânsito fronteiriço movimentado pelo setor de compras em Cidade de Leste. Apenas para quem vai dar entrada no país na aduana paraguaia e seguir viagem para outras regiões do país vizinho é que deverão apresentar a carteirinha internacional expedida pela Anvisa.

FONTE: Jornal O Paraná

www.colunaitalo.com.br

Anúncio - banner interno Anúncio - Clarineis interno
Comentários
Veja também