Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - Banner mobile
Anúncio - Mobile
Anúncio - Mobile
Anúncio - Móbile
Anúncio - Mobile
Anúncio - Exames de Imagem mobile
Anúncio - AGOSTO
Anúncio - TRANSITO MOBILE
Anúncio - rodape mobile
TRABALHO PESADO!
Operários e máquinas recuperam aterros de ponte
Prefeitura de Umuarama está executando um serviço definitivo e bem feito!
Publicado em 16/03/2018 às 18:34 Italo
Operários e máquinas recuperam aterros de ponte

Com o repasse de R$ 4,6 milhões autorizado pelo Ministério da Integração Nacional para a recuperação de estragos causados pelas chuvas em Umuarama, a Prefeitura iniciou nesta semana a reconstrução dos aterros da ponte sobre o córrego Pinhalzinho, no acesso ao Conjunto São Cristóvão pela rodovia PR-323, nas imediações da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) da Sanepar.

A cabeceira que desmoronou parcialmente, devido ao rompimento de uma galeria pluvial que não suportou o grande volume de água das chuvas, foi totalmente escavada e nos próximos dias será preenchida com pedra rachão e uma base de terra compactada, antes de receber um novo pavimento. Na terça-feira, operários de uma empresa contratada em regime de emergência pela Prefeitura preparavam as ferragens para um lastro em concreto que vai reforçar o aterro.

A passagem pela ponte está totalmente bloqueada. Um após o outro, os dois lados da ponte serão preenchidos com pedras – para melhorar a drenagem e evitar a ocorrência de erosão – e as galerias serão recuadas para evitar riscos à estrutura da ponte, caso ocorra o rompimento da tubulação no futuro.

SERVIÇO DEFINITIVO E BEM FEITO!

“Estamos fazendo um serviço definitivo”, afirmou o secretário municipal de Obras, Planejamento Urbano e Projetos Técnicos, Isamu Oshima.

A ponte já teve muitos problemas com erosão porque o aterro não suporta o volume de água que o córrego recebe em dias de chuva forte e também porque as galerias despejavam a enxurrada no meio das alas da ponte. “Agora a tubulação será independente e com esta base reforçada, não haverá mais desmoronamentos”, completou.

O prefeito Celso Pozzobom explica que a demora na obra se deu à incerteza inicial na liberação dos recursos – assegurados com o reconhecimento da situação de emergência decretada em Umuarama – e pela necessidade de garantir solução definitiva à erosão recorrente nas cabeceiras.

“Sabemos do incômodo que esta situação causa aos moradores do São Cristóvão, aos alunos da Escola Agrícola e da UEM (Universidade Estadual de Maringá) e às empresas daquela região. Mas optamos por fazer um trabalho de qualidade, e não algo paliativo, como sempre foi feito ali. Vale a pena esperar, pois agora eliminaremos de vez aquele problema”, justificou.

Com os recursos autorizados pela Secretaria Nacional de Defesa Civil, a Prefeitura pretende reconstruir as galerias pluviais do Parque Industrial 3A e melhorar a drenagem profunda, construir sete novas pontes em estradas rurais e recuperar os aterros da ponte do Conjunto São Cristóvão, que vai custar cerca de R$ 450 mil. As novas pontes serão construídas na estrada Jaborandi (rio Piava), estradas Dias (córrego Tucuruvi) e Moema (Ribeirão do Veado); rio Esperança (Estrada Canelinha); córrego Água Preta (estrada Divisora, em Vila Nova União); córrego Jumento (Estrada Paulista, em Roberto Silveira); e no córrego e Estrada Pajé.

FOTOS: Secom/Prefeitura

Imagens comprovam o trabalho duro, e de maneira bem feita para ser definitiva, que está sendo realizado pela Prefeitura naquela ponte que virou um drama a cada chuva que caiu em Umuarama!

Anúncio - Banner interno Anúncio - banner interno
Comentários
Veja também