Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - Mobile
Anúncio - Mobile
Anúncio - Mobile
Anúncio - Mobile
Anúncio - Ponta de Estoque mobile
Anúncio - Mobile Rodape
Anúncio - Interlagos mobile
Anúncio - rodape mobile
MULTIMÍDIA
As vantagens do jornalismo digital para o jornalismo impresso
Público leitor de notícias em Umuarama está conectado nos portais
Publicado em 21/06/2018 às 14:07 Italo
As vantagens do jornalismo digital para o jornalismo impresso

Os tempos mudaram, os costumes idem. O passado, passou; o futuro é hoje! Entre tantas tradições que estão caindo está a de ler jornal impresso. Na atualidade, viver bem informado é navegar através do jornalismo digital, aposentando de vez o jornal impresso. Isso vem se verificando intensamente no planeta inteiro.

Umuarama segue esse ritmo globalizado, prova disso é o sucesso dos portais de notícias, que mantêm os internautas bem informados do que acontece na cidade e alhures em tempo real. E conquistaram milhares de fiéis leitores – os números provam isso! -, façanha impossível para a velha mídia impressa.

A disputa está cada vez mais intensa entre os sites, incluindo entrevistas ao vivo diretamente de onde o fato está acontecendo... Resultado: aos jornais impressos sobra o consolo de, só no outro dia, publicar o que todo mundo já leu na internet. Resultado: perderam leitores, assinantes, anunciantes e desapareceram das bancas!

É HUMANAMENTE E TECNICAMENTE IMPOSSÍVEL COMPETIR!

Seguem-se algumas das principais vantagens de uma publicação online relativamente à sua versão impressa:

·Não é preciso transportar aquele maço de folhas que é o jornal tradicional, que depois de lido não tem utilidade. A versão online está disponível em qualquer computador ligado à Net, sem riscos ambientais acrescidos, sem se correr o risco de se perder.

·A edição online não se esgota a uma certa hora, nem existe apenas nesta ou naquela banca, nesta ou na outra parte do país. Ela está disponível a qualquer hora (muito mais cedo do que a versão impressa, sem os limites do número de tiragem), de qualquer ponto do mundo, e ainda por cima gratuitamente.

·Podem utilizar-se citações dos textos que lá figuram através do simples mecanismo de "Copiar–colar", sem ser necessária a transcrição (que acarreta sempre alguma probabilidade de erro).

·Através de motores de pesquisa pode ir-se imediatamente para os artigos que interessam ao leitor, ou até certas palavras-chave que este procura nos textos. A versão digital tem um modelo não linear que permite múltiplas formas de leitura, consoante o interesse ou disponibilidade do leitor.

·Sempre que for necessário, pode imprimir-se o que interesse.

·Os textos, mantendo o seu conteúdo, remetem para outros sites de interesse que contêm informação adicional.

·No site pode descobrir-se também informação acerca da equipe responsável pelo jornal, e informação acerca do próprio periódico em si.

· A informação na versão online está hierarquicamente organizada de forma mais perceptível do que no jornal impresso.

·A versão digital permite ao Design gráfico uma maior liberdade criativa, através de ferramentas disponíveis para a construção na Web.

·Os artigos podem ser discutidos em Newsgroups existentes já nalguns sites, onde cada leitor se pode confrontar com outros leitores que partilham os mesmos interesses, formando assim aquilo a que hoje se chama de Comunidade virtual de interesses.

·Existem ferramentas acessíveis na Internet que permitem uma tradução instantânea de qualquer texto. O que significa que um leitor pode ler artigos em jornais eletrónicos em qualquer língua, o que favorece a democratização da Imprensa e a materialização da "aldeia global" de McLuhan.

·Numa só navegação podem consultar-se inúmeros jornais diferentes, sem custos inerentes ou dificuldades na língua.

·Em muitos casos, o leitor tem acesso à mesma informação que o repórter tem. O que permite ao leitor ter acesso a todos os documentos envolvidos na história (não apenas à visão parcelar do jornalista). O que, na opinião de Christopher Harper, pode significar uma maior isenção do repórter, com o consequente aumento de credibilidade aos olhos do leitor.

·A informação deixa de ser um produto "de poucos para muitos" (massmedia) para se tornar algo "de muitos para muitos". O leitor usufrui assim de todas as vantagens da maior oferta, maior liberdade de escolha, e participação direta no processo de produção das notícias.

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Anúncio - Novo
Comentários
Veja também