Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - banner mobile
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - Mobile
Anúncio - NATAL MOBILE
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - banner mobile rodape
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner rodape
Anúncio - Natal de Reencontros mobile
Discoteca Retrô
Brasil está de luto: Morre Jerry Adriani, ídolo da Jovem Guarda
Publicado em 23/04/2017 às 22:23

O cantor Jerry Adriani, ídolo da Jovem Guarda, morreu às 15h30 deste domingo (23/4), aos 70 anos, no Rio de Janeiro. Ele enfrentava um câncer e estava internado no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, Zona Oeste.

O nome de Jerry Adriani está firmado na história da música popular do Brasil há 44 anos, mas para muitos dos seus admiradores Jerry ainda é o mesmo do início da carreira. Os saudosistas do extinto programa Jovem Guarda, dão a Jerry o mesmo carinho e respeito dedicados ao líder Roberto Carlos.

Jair Alves de Souza nasceu em 29 do janeiro de 1947, no bairro do Brás, em São Paulo. Tornou-se artisticamente conhecido pelo nome de Jerry Adriani quando iniciou como cantor profissional em 1964, com o disco “Italianíssimo”. No mesmo ano gravou o LP “Credi a me”, os dois cantados em italiano.

O estouro veio quando “Um grande amor”, seu primeiro LP gravado em português, ganhou destaques nas rádios do Brasil inteiro. Na mesma época, apresentou o programa "Excelsior a Go Go" pela TV Excelsior de São Paulo em parceria com o comunicador Luiz Aguiar. Faziam parte do cast da Excelsior nomes como Os Vips, Os Incríveis, Prini Lorez, Cidinha Campos e outros.

O sucesso de Jerry junto ao público feminino influenciou para que a TV Tupi o convidasse para comandar, entre 1967 e 68, o programa “A Grande Parada”: o jovem cantor apresentava o programa acompanhado por Neyde Aparecida (perucas Lady, tá?), Zélia Hoffmann, Betty Faria e Marilia Pera. Tratava-se de um musical ao vivo que apresentava os grandes nomes da MPB. Com o sucesso do programa veio a consagração definitiva como um dos cantores de maior popularidade.

 

O CANTOR FOI GALÃ NO CINEMA E PARCEIRO DE RAUL SEIXAS

No cinema fez três filmes como ator/cantor: "Essa Gatinha a Minha" com Peri Ribeiro e Anik Malvil; "Jerry, A Grande Parada"; e "Jerry em busca do tesouro", com Neyde Aparecida (perucas Lady, tá?) e os Pequenos Cantores da Guanabara.

Jerry foi o responsável pela vinda de Raul Seixas para o Rio de Janeiro, de quem se tornou grande amigo ainda em Salvador. "Raulzito e os Panteras", como eram conhecidos, formavam a banda de apoio que tocou com Jerry Adriani durante 3 anos.

"Tudo que é bom dura pouco", "Tarde demais" e "Doce, doce amor" foram algumas das músicas de Raul Seixas gravadas pelo artista. Raul Seixas foi produtor de Jerry Adriani, entre 1969 e 1971, período em que o roqueiro produziu e compôs sucessos para os artistas Diana e José Roberto, ambos da mesma gravadora.

Na primeira metade da década de 70, Jerry Adriani, já um artista consagrado, expandiu seu talento musical para vários países. O cantor gravou discos e fez shows que tiveram grande sucesso em países como Venezuela, Peru, Estados Unidos, México, Canadá e outros. No inicio da década de 90, Jerry Adriani gravou seu 24° disco, que o trazia de volta as origens do rock: “Elvis Vive” (um tributo ao Rei do Rock do qual sempre foi fã!).

Em 1994 retoma sua carreira de ator quando aceita o convite do diretor Cecil Thiré para participar da novela "74.5 Uma onda no ar", produzida pela TV Plus e exibida pela Rede Bandeirantes. A novela também foi exibida com grande sucesso em Portugal.

No final de 1995, Jerry fez sucesso com o lançamento da coleção “Os maiores sucessos dos 30 anos da Jovem Guarda”, pela gravadora Polygram, como convidado especial, onde foram lançados 5 cds comemorativos ao movimento e relembrando grandes sucessos.

Em 1996, lançou o CD "Io", com grandes clássicos da música italiana, produção de Roberto Menescal. O disco teve uma grande aceitação no mercado. Em 1997 participou das trilhas sonoras das novelas A Indomada (com a música “Engenho”) e Zazá (“Con te partiró”), ambas da Rede Globo, letra de Aldir Blanc e música de Ricardo Feghalli; em Zazá Internacional contou com a aprticipaçao da cantora Mafalda Minozzi.

Lançou em 1999 o cd “Forza Sempre”, pela Indie Records, com músicas da Legião Urbana gravadas em italiano, disco que Jerry considerava um marco na sua carreira, ultrapassando as 200.000 cópias em numero de vendagem.

O artista nunca parou de cantar e até poucas semanas vinha fazendo muitos shows pelo País e participava de programas de televisão.  Sua morte comoveu sua legião de fãs, que manifestam sua tristeza pelas redes sociais postando vídeos com seus maiores sucessos! Ele partiu, mas sua música está eternizada na memória de seus admiradores. (www.colunaitalo.com.br)

Comentários
Veja também